Avançar

1
RESERVATÓRIO
2
CASA MARTA ORTIGÃO SAMPAIO
3
CASA TAIT
4
EXTENSÃO DO ROMANTISMO
5
ENTRE QUINTAS
6
BANCO DE MATERIAIS
7
RIO DA VILA — em construção
8
CASA DOS 24 — a abrir
9
ARQUEOSSÍTIO —  a abrir
10
CASA GUERRA JUNQUEIRO
11
EXTENSÃO DO DOURO
12
CASA DO INFANTE
13
BIBLIOTECA SONORA
14
ATELIÊ ANTÓNIO CARNEIRO — a abrir
15
EXTENSÃO DA INDÚSTRIA — em construção
16
EXTENSÃO MATADOURO — em construção
17
BONJÓIA EXTENSÃO DA NATUREZA — em construção

CASA MARTA ORTIGÃO SAMPAIO

1
RESERVATÓRIO
2
CASA MARTA ORTIGÃO SAMPAIO
3
CASA TAIT
4
EXTENSÃO DO ROMANTISMO
5
ENTRE QUINTAS
6
BANCO DE MATERIAIS
7
RIO DA VILA — em construção
8
CASA DOS 24 — a abrir
9
ARQUEOSSÍTIO —  a abrir
10
CASA GUERRA JUNQUEIRO
11
EXTENSÃO DO DOURO
12
CASA DO INFANTE
13
BIBLIOTECA SONORA
14
ATELIÊ ANTÓNIO CARNEIRO — a abrir
15
EXTENSÃO DA INDÚSTRIA — em construção
16
EXTENSÃO MATADOURO — em construção
17
BONJÓIA EXTENSÃO DA NATUREZA — em construção

CASA MARTA ORTIGÃO SAMPAIO

Instalada num edifício modernista de 1958, desenhado por José Carlos Loureiro, a Casa Marta Ortigão Sampaio resultou de uma doação à Câmara Municipal do Porto em 1978, e abriu ao público em 1996.

Marta Ortigão Sampaio (1897-1978), filha de Estela de Souza e Vasco Ortigão Sampaio, sobrinho de Ramalho Ortigão e célebre colecionador e mecenas portuense, era sobrinha materna das pintoras Aurélia de Souza e Sofia de Souza e nasceu num contexto privilegiado, convivendo desde cedo com a prática artística.

 A estação 2 do Museu da Cidade, evoca o ambiente que rodeou a vida desta família da burguesia portuense, apresentando coleções de pintura, jóias, uma biblioteca especializada em livros de arte, peças de mobiliário de influência francesa, inglesa e indo-portuguesa e outras peças de arte decorativas.

O espólio é constituído pela transferência do recheio, ou parte deste, da moradia que o casal ocupava em S. Mamede de Infesta – Matosinhos. Curioso é o facto da casa na Rua de Nossa Senhora de Fátima nunca ter sido efetivamente habitada, o que indicia a secreta intenção desta construção, destinada a ser legada à cidade.

 Inscreve-se no eixo sonoro, que na Casa potencia outras leituras e narrativas em diálogo com a coleção, e no eixo romantismo, pela persistência do espírito romântico no gosto burguês da primeira metade do século XX.

Na Casa Marta Ortigão Sampaio encontram-se obras do naturalismo português de Silva Porto, Carlos Reis, Malhoa, Roque Gameiro, entre outros, e um importante acervo de pinturas, desenhos e fotografias de Aurélia de Souza, uma das mais singulares artistas portuguesas do seu tempo.

A importante coleção de jóias, uma das maiores de uso pessoal, apresenta perto de três centenas de peças de finais do século XVII ao século XX.

Ladeando a casa, no jardim encontram-se pedras trabalhadas que pertenceram ao convento de S. Bento de Avé-Maria, um pequeno lago e flora de interesse, tais como espécies de magnólias [magnolia grandiflora], um Cedro do Atlas [Cedrus atlantica], identificado-o com o eixo natureza.

Imagens—Atlas: António Alves (MdC).

Bilhetes

BILHETEIRA ONLINE

HORÁRIO

Terça—Domingo
10H—17H30

Encerra às segundas e dias feriados.

Endereço

Rua de Nossa Senhora de Fátima, 291 / 299
4050-428 Porto
GPS: 41.159457, -8.625454
Localização

Autocarro

203, 302, 203, 302, 508

Metro

Carolina Michaëlis

Estacionamento

Casa da Música

Jardins

MARTA ORTIGÃO SAMPAIO

Eixos

SONORO

NATUREZA

ROMANTISMO