Voltar

Musica Brevis #1

4
EXTENSÃO DO ROMANTISMO

A Orquestra da Costa Atlântica apresenta no Museu da Cidade | Extensão do Romantismo um concerto de música de câmara sob o mote “Musica Brevis”. Com a curadoria artística do maestro Luís Miguel Clemente, serão interpretadas três obras para Quinteto de Sopros compostas no séc. XX, da autoria de Jacques Ibert, Paul Taffanel e Eurico Carrapatoso. As obras exploram de forma magistral o potencial tímbrico e técnico do quinteto para sopros e, em particular, na obra do aclamado compositor português Eurico Carrapatoso, a “revisitação sonora” à linguagem compositiva que fez escola no séc. XX, designadamente a de Bartok, Webern, Messiaen e Stravinsky.

 

INTÉRPRETES
Maria João Balseiro (flauta)
Pedro Teixeira (oboé)
Mário Apolinário (clarinete)
Pedro Rodrigues (fagote)
Nádia Meireles (trompa)

 

AUTOR E OBRAS MUSICAIS
Jacques Ibert (1890-1962)
3 pieces breves
I. Allegro
II. Andante
III. Assez lent – Allegro scherzando

 

AUTOR E OBRAS MUSICAIS
Eurico Carrapatoso (1962-)
5 Elegias
N.º1  – A Bela Bartok
N.º2 – A Germain Tailleferre
N.º3 – A Anton Webern
N.º4 – A Olivier Messiaen
N.º5 – A Igor Stravinsky

 

AUTOR E OBRAS MUSICAIS
Paul Taffanel (1844-1908)
Quinteto em sol menor
I. Allegro con moto
II. Andante
III. Vivace

 

A Orquestra da Costa Atlântica, fundada em 2015, reúne instrumentistas de elevado nível técnico e artístico numa formação de singular excelência no panorama musical português.  Constituída por um efetivo de sessenta instrumentistas profissionais, a Orquestra da Costa Atlântica pode ser reduzida ou expandida de acordo com as especificidades de cada programa de concerto. Desta forma, a orquestra pode interpretar um amplo repertório, que se estende do Barroco até à música contemporânea, bailados, óperas ou bandas sonoras de filmes, assegurando uma intensa e versátil atividade artística. Em cada temporada, a Orquestra da Costa Atlântica realiza uma série regular de concertos em diversas salas do país. Através da atividade concertística e da criatividade dos programas que apresenta, a orquestra cumpre uma função descentralizadora no acesso das pessoas à música erudita. Contribui ainda para a captação e formação de novos públicos, e gera um indiscutível valor cultural e social para as comunidades e território onde se apresenta. A Orquestra da Costa Atlântica tem como Diretor Artístico e Maestro Titular Luís Miguel Clemente, reconhecido como um dos mais carismáticos, talentosos e estimulantes maestros da cena musical portuguesa. O projeto artístico protagonizado pela Orquestra da Costa Atlântica é reconhecido como um dos mais inovadores e uma referência no âmbito da música erudita em Portugal.

 

BILHETES

Entrada gratuita, até à lotação do espaço.

 

Lotação total
50 lugares