Voltar

pla·tô — Madame Quay, um drama sonoro

13
BIBLIOTECA SONORA

Nos finais do glorioso século XIX, uma luso-francesa abastada fará tudo ao seu alcance para reconquistar o seu marido: trairá, enganará, dominará, conquistará, até perceber que tudo o que precisa é de si própria e não de quem não a merece. Pelo meio há narigudas, minorcas, bebedolas, engatatões, princesas, burlões, condes e condessas. Tudo do melhor para rechear uma aventura de época na magnífica cidade do Porto.

 

Luís Araújo iniciou o seu percurso profissional com o dramaturgo Raimondo Cortese (Ranters Theatre) e com a companhia Teatrino Clandestino. Em 2007 concebeu e inter-pretou o seu primeiro projeto de criação: “Mostra-me Tu a Minha Cara”. Em 2010 coence-nou “T3+1” e em 2012 “Katzelmacher”. Em 2013 criou e interpretou “Perspicere”. Em 2014 cocriou “Celeste”, vencedor do prémio FATAL. Em 2015 adaptou, encenou e interpretou “Caridade” e em 2016 adaptou e encenou “Subterrâneo”. Em 2017 criou a performance “Feminino/Feminino” no âmbito da MARTE – Mostra de Artes Visuais, em 2018 encenou e interpretou “Pulmões” e em 2019 “A Tragédia de Júlio César”. Em 2020 criou e interpretou os áudio-dramas “Take Away” e “Já Ninguém Estraga o Rouge” e em 2021 criou o áudio–drama “Ruínas”. É desde 2019 o diretor artístico da Ao Cabo Teatro.

 

16 DEZ 2022
15H—19H

17 DEZ 2022
14H30—17H30

 

Elenco
AFONSO SANTOS
MARIA LEITE
MAURO HERMÍNIO
ODETE MOSSO
LUÍS ARAÚJO
PEDRO DAMIÃO
Com participação do público

 

Sonoplastia
VITOR HUGO BARROS

 

Narração
FERNANDO ALVES

 

Não há território sem um vector de saída do território; e não há saída do território sem um esforço para se re-territorializar em outra parte.
Gilles Deleuze e Félix Guattari

 

Partindo do conceito proposto por Gilles Deleuze e Félix Guattari em Milles Plateaux, pla·tô, concebido pelo Ao Cabo Teatro para o Museu da Cidade, é um projeto de desterritorialização e desmaterialização de formas dramáticas tradicionais, associadas ao palco ou aos ecrãs. Que pretende ser, da mesma forma e através da ficção, uma coleção de pontos de fuga em várias paisagens das cidades de Aveiro e do Porto. Re-territorializar, enfim, o imaginário do lugar. A estrutura Ao Cabo Teatro convidou autores para habitar esses espaços e criadores para trabalhar os textos que estes deixaram. No Museu da Cidade, André Tecedeiro e Carminda Soares ocuparão a Casa Marta Ortigão Sampaio, Gonçalo Waddington e Luís Araújo a Biblioteca Sonora (Biblioteca Pública Municipal do Porto) e João Pedro Vaz e Sofia Saldanha a Extensão do Romantismo.

 

PROGRAMA

Casa Marta Ortigão Sampaio | 18, 19, 20 NOV 2022, 14H—17H
Desfazer — monólogo para um Museu, com André Tecedeiro e Carminda Soares

 

Biblioteca Sonora | 16-17 DEZ 2022
Madame de Quay, um drama sonoro, com Gonçalo Waddington e Luís Araújo

 

Extensão do Romantismo | JAN 2023
Os dias e os meses, com João Pedro Vaz e Sofia Saldanha

 

 

BILHETES

Entrada gratuita

Inscrições através do email bmp@cm-porto.pt

 

Lotação total
15 lugares